CÁRITAS: UM ORGANISMO DA IGREJA CATÓLICA

18/11/2015

 

                    A Cáritas, como um Organismo da Igreja Católica foi criada em 1950, pelo Papa Paulo VI, após a 2ª Guerra Mundial.  

                    Hoje a Cáritas está presente nos cinco Continentes e em mais de 200 Países e territórios do Planeta. No Brasil a Cáritas foi fundada por Dom Hélder Câmara (in memorian). A Cáritas Brasileira foi criada em 1956, como organismo de Pastoral Social da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) e entidade de Assistência Social.  

                    Nacionalmente, a Cáritas é um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Está organizada em uma rede com mais de 180 entidades-membro, 12 regionais – Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Norte II (Amapá e Pará), Maranhão, Piauí, Ceará, Nordeste II (Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte) e Nordeste III (Bahia e Sergipe) – e uma sede nacional. Atua em mais de 450 municípios, sendo presença solidária junto às pessoas mais empobrecidas. No Regional Rio Grande do Sul, a ação da Cáritas está presente, com atuação direta em todas as regiões do Estado – RS. 

                   Trata-se de uma rede de pessoas organizadas em grupos, comunidades, paróquias, municípios, regiões, que contribuem para a vivência da solidariedade, construção da cidadania e fortalecimento da democracia e da organização popular, em vista de uma sociedade justa, fraterna e solidária. 

                 A Cáritas RS trabalha com as pessoas em situação de exclusão social para que se tornem protagonistas da sua história. Defendemos a vida, promovemos a cidadania, mobilizamos a sociedade, desenvolvemos projetos em todo o estado do RS, para a superação das desigualdades sociais.  

                 A história da Cáritas também é a história de ajuda humanitária em situações de emergências e desastres sócio-ambientais em diversos lugares do mundo.  

 Com quase 60 anos de história no Brasil, somos uma rede solidária de mais de 15 mil agentes, muitos voluntários, por todo o país. Nos últimos 10 anos, pudemos auxiliar mais de 300 mil famílias, contribuindo para a transformação de suas vidas e devolvendo a elas a esperança de novas conquistas. 

No fomento às iniciativas de Economia Solidária, Segurança Alimentar e Nutricional, Fundos Solidários, envolvendo jovens, mulheres, catadores(as) de materiais recicláveis, pequenos(as) agricultores(as), acampados(as) e assentados(as) de reforma agrária, ribeirinhos, quilombolas e indígenas, comunidades em situação de riscos e afetadas por desastres socioambientais, a Cáritas valoriza e aposta em ações locais, comunitárias e territoriais, em relações solidárias em que a luta por direitos e a construção de um desenvolvimento local e solidário e sustentável caminham juntas. 

Na atuação em gestão de riscos e em situações de emergências, sendo presença solidária e mobilizadora com ações preventivas e de redução de riscos, a Cáritas busca firmar a importância de atuar na perspectiva de defesa de direitos. 

Nas lutas emancipatórias, a partir de processos coletivos, organizativos, promovendo o protagonismo de grupos e comunidades, bem como no fortalecimento de iniciativas em redes de articulação, fórum e ações de incidência política, a Cáritas busca animar a construção de espaços de democracia participativa, de inclusão e transformação social. 

Todas essas ações visam sempre a um objetivo: transformar! Cáritas Brasileira é mudança. Queremos que as pessoas excluídas, no campo social, político e econômico, possam também escrever sua história e, ao mesmo tempo, ser atores e atrizes principais dela. 

A Cáritas, que leva em seu nome e em sua missão o próprio amor do Projeto de Jesus, é motivada na ação cotidiana a viver o desafio de traduzir esse amor a partir da solidariedade para com as pessoas mais empobrecidas. 

 

HISTÓRICO 

A Cáritas foi criada em 1956 pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). No início ela foi incumbida de articular todas as obras sociais católicas e assumir a distribuição do Programa de Alimentos para a Paz, subsidiado pelo governo americano como um dos eixos de um Programa maior chamado “Programa Aliança para o Progresso”, implementado após a Segunda Guerra Mundial. 

Em 1966, a quantidade de donativos para a Aliança para o Progresso começou a diminuir e em 1974 o programa foi instinto e junto com ele alguns regionais e muitas Cáritas Diocesanas encerraram suas atividades. Muitas equipes que já vinham trabalhando para se adequar aos novos tempos e foram, com o tempo, encontrando um novo caminho em torno da ideia da educação de base e da promoção humana no lugar do assistencialismo. Deu-se um processo de renascimento da Cáritas Brasileira, apoiado nas orientações sociais do Concílio Vaticano II e da Conferência de Medellín. 

Nos anos 1980, os(as) agentes Cáritas começaram a respirar o ambiente da educação popular, das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) e Organismos e Pastorais Sociais (CIMI, CPT, CPO) e foram renovando a sua metodologia de ação. A nova estratégia exigia um estudo da realidade para melhor compreendê-la. 

Foi nos anos 1990 que a Cáritas Brasileira projetou iniciativas inovadoras como a dos Projetos Alternativos Comunitários, e com equipes estáveis (nacional, regionais e muitas dioceses), ela assumiu uma liderança ativa no conjunto das pastorais sociais. Estes Projetos se transformaram em Economia Solidária, presente hoje nos 27 Estados Brasileiros e no Distrito Federal. 

Embora tenha sido construída por voluntários e voluntárias, a Cáritas conta com um grupo de pessoas fixas que diante do crescimento, passou a assumir o planejamento, monitoramento, avaliação e sistematização (PMAS) e a busca pela gestão, comunicação, sustentabilidade institucional e formação dos agentes. Assim foram sendo criadas as Comissões, Grupos Gestores, Grupos de Trabalho, Conselhos, Fóruns e Coordenações Colegiadas e na participação de construção de Políticas Públicas. 

              A 20ª Assembléia Nacional da Cáritas Brasileira, realizada de 12 a 15 de novembro de 2015 em Brasília, DF, abriu o Ano Jubilar dos 60 anos da Cáritas Brasileira e Itaici, São Paulo em novembro de 2016. A XX Assembléia Nacional da Cáritas Brasileira elegeu a nova Diretoria Nacional da organização para o Quadriênio 2016/2019: para Presidente da Cáritas, Dom João Costa, Arcebispo Coadjutor da Arquidiocese de Aracaju/SE; para Vice-Presidente, Irmã Lourdes Dill, da Cáritas Arquidiocesana de Santa Maria/RS; Diretora-Secretária, Marilene Alves de Souza, da Cáritas Diocesana de Montes Claros/MG e para Diretor-Tesoureiro, Udelton da Paixão, da Cáritas Diocesana de Paracatu/MG. Já o Conselho Fiscal ficou assim constituído: Adão José Piva, Padre Wilson Buss e Anadete Gonçalves Reis (Titulares), Otília Balio Fava, Padre Francisco Almeida e Diácono Marcus Soares (Suplentes). 

              Durante a Assembléia Nacional, muitos temas desafiadores foram debatidos e evidenciados, os quais farão parte das principais atividades dos próximos anos da Cáritas Brasileira. 

              Nos dias 14 e 15 de dezembro de 2015, haverá uma reunião geral das duas Diretorias, a que deixa e a que assume, para junto com o Secretariado Nacional, fazer o planejamento para as principais atividades a nível nacional para 2016. 

 

GLOBALIZANDO A SOLIDARIEDADE 

 

            Na Arquidiocese de Santa Maria a Cáritas é coordenada pelo Banco da Esperança, através da Ação Social Arquidiocesana e do Projeto Esperança/Cooesperança, que atua em sintonia com a Cáritas Brasileira e Regional RS como um organismo da CNBB. As ações tem articulação com as Paróquias, Comunidades, Pastorais Sociais, Movimentos Populares, Cooperativismo, Economia Solidária, Projetos de Sustentabilidade e Inclusão Social. É uma rede de ações humanitárias que formam a Solidariedade, cidadania e inclusão social, na organização do povo “não dando o peixe, mas ensinando a pescar”.  

          Neste sentido todos somos convidados a participar ativamente nas ações transformadoras a nível Local, Estadual e Nacional. Tudo isso nos faz “Pensar Globalmente e Agir Localmente” com as práticas solidárias e transformadoras. 

          

 

Acesse os sites para acompanhar os trabalhos sociais da Cáritas nos diferentes níveis: 

Cáritas Brasileira - E.mail: caritas@caritasbrasileira.org  / Site: www.caritasbrasileria.org  

Cáritas Regional RS – E.mail: caritas@caritas.org.br  / Site: www.rs.caritas.org.br   

Banco da Esperança – E.mail: bancodaesp@yahoo.com.br  

                                              Site: www.diocesesantamaria.org.br   

Projeto Esperança/Cooesperança - E.mail: projeto@esperancacooesperanca.org.br  

                                                                         Site: www.esperancacooesperanca.org.br   

Cáritas Internationalis – E.mail: caritas.internacionalis@caritas.va  

            Site: www.caritas.org/who-are/contact  

              

                            

CÁRITAS: PARA QUE MAIS GENTE POSSA SER GENTE! 

 

                

Irmã Lourdes Dill 

Coord. Projeto Esperança/ 

Cooesperança 

Please reload

 Posts em Destaque

FEIRÃO  ESPECIAL  DOS  PAIS

August 10, 2019

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Pesquisa por tags
Please reload

Siga-nos
  • Facebook Basic Square

© 2023 Projeto Esperança/Cooesperança - Santa Maria - RS - Brasil  - Fones (55) 3219.4599 / 3223.0219                               Site desenvolvido por: Vida Grafi - Santa Maria - RS